quarta-feira, 30 de abril de 2014

Beira-LONA passa por cima das leis ambientais


Lei 385/201329/04/2014 Assembleia aprova a criação do Dia do Torcedor Colorado

Dia 17 de dezembro, data em que o Inter conquistou o Mundial de Clubes, em 2006, entra no calendário oficial do Estado

Assembleia aprova a criação do Dia do Torcedor Colorado Patrícia Paes/Divulgação

Foi aprovado, nesta terça-feira, pela Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, o projeto de lei que institui o "Dia do Torcedor Colorado".
O projeto da lei 385/2013 foi proposto pelo deputado Paulo Borges (DEM), que propõe a data em homenagem ao título do Mundial de Clubes, conquistado em 17 de dezembro de 2006. A partir deste ano, a data entra oficialmente no calendário oficial do estado. A lei, no entanto, ainda tem de ser sancionada pelo governador Tarso Genro.
O presidente do Inter, Giovanni Luigi, e o vice-presidente Marcelo Medeiros estiveram presentes durante a votação.
O Dia do Torcedor Gremista já faz parte do calendário gaúcho. A data é comemorada todo dia 15 de setembro, escolhido em homenagem à fundação do Grêmio, em 1903. Ela foi sancionada em 2003, ano do centenário do clube.

domingo, 27 de abril de 2014

Nova camisa Branca


Beijinho do Sheik


Marquinhos Pedroso é o novo reforço do Grêmio para a sequência da temporada 2014

 

Já visando um substituto para Wendell, que negociado com o Bayer Leverkusen, da Alemanha, deixará o Grêmio ao final da Libertadores, o clube gaúcho acertou neste último sábado, a contratação de Marquinhos Pedroso, jovem que estava defendendo o Figueirense.

O jogador sequer viajou com o elenco alvinegro para a partida contra o Bahia, neste domingo, pelo Brasileirão. Em publicação do jornal Zero Hora, o lateral de 20 anos comentou o rápido acerto com o clube gaúcho:

"Surpreso é claro que ficamos. No futebol, sabemos que as coisas são muito rápidas, e comigo não foi diferente. Eu vim de um empréstimo, aí voltei, disputei o Catarinense, que é curtíssimo, e aconteceu isso, a proposta, e já se concretizou. Estou muito feliz por isso, é o reconhecimento de um trabalho. Eu estava treinando normal, até mesmo ontem, não sabia de nada, apenas da sondagem, mas sabemos que no futebol é normal", declarou.

Marquinhos Pedroso foi escolhido como a revelação do Campeonato Catarinense 2014 e quer alcançar conquistas ainda maiores, agora com a camisa tricolor:

"Estou muito feliz pelo reconhecimento do meu trabalho. É bom saber que tem outras pessoas além daqui nos olhando. Essa posição de lateral-esquerdo, que hoje está muito em falta no mercado, e o Figueirense ter revelado jogadores da posição, até para a Seleção Brasileira. Eu sabia que essa visibilidade era muito boa. A negociação acabou acontecendo por estar jogando e pela sequência muito boa que tive no Figueirense. Vou para lá para tentar fazer, no mínimo, um pouco melhor do que fiz aqui. Vou trabalhar para melhorar cada vez mais", completou.

Nada como ter estádio "próprio" onde se coloca o preço que quiser.

"Cresce a bronca com os preços do Beira-Rio" Torcedores reclamam dos valores cobrados por produtos dentro do estádio.

Diogo Olivier: "Cresce a bronca com os preços do Beira-Rio" Diego Vara/Agencia RBS
 Diogo Olivier

Os serviços de alimentação do novo Beira-Rio não são para o contribuinte brasileiro. Talvez os palacianos de algum sultanato asiático considerem razoáveis os preços cometidos pelos serviços do estádio.

Água a R$ 5 não existe, assim como um simples sanduíche a R$ 8 ou um prosaico cafezinho a R$ 5. Ambulantes vendiam cachorro-quente a R$ 15 no jogo contra o Vitória. Pipoca virou artigo de luxo.
Além dos preços caros demais, pais colorados reclamam das restrições para levar crianças ao Beira-Rio. Menor de idade não paga ingresso só até quatro anos. Antes, era 12. E se, durante o jogo, estiver numa cadeira vazia ao lado, e não na mesma do responsável, conforme as novas regras, daqui a pouco pode ser motivo de advertência.
É o debate aquele da elitização, que precisamos retomar.
Não sou contra a modernidade dos novos estádios. Ao contrário. Trata-se de um caminho sem volta. É para frente que se anda. Rentabilizar o fator local é fundamental para os clubes com casas privadas. Mas há que se ter bom senso.
Desse jeito, o sujeito que tiver dois filhos terá de pedir empréstimo em banco para levar a família ao futebol.

quarta-feira, 23 de abril de 2014

terça-feira, 22 de abril de 2014

Ué, não era o "clube do povo" ? E a Arena do GREMIO era estádio de Elite? A realidade demora mais chega...

Preços dos ingressos do novo Beira-Rio serão mantidos para jogo do Inter contra o Sport. Segundo compromisso do time de Abel na remodelada casa terá bilhetes entre R$ 40 e R$ 250

Preços dos ingressos do novo Beira-Rio serão mantidos para jogo do Inter contra o Sport Diego Vara/Agencia RBS

Erra o torcedor que espera a redução no valor dos ingressos para a próxima partida do Inter no Beira-Rio. Muita gente se queixou pelas redes sociais dos salgados valores cobrados para quem não é sócio, mas os valores serão mantidos para o jogo contra o Sport, no dia 4 de maio.
O segundo compromisso do Inter na remodelada casa terá ingressos entre R$ 40 e R$ 250. Para chegar às cifras propostas, ainda que no último ano os jogos do Inter tenham sido mandados no Estádio do Vale, em Novo Hamburgo, e no Centenário, em Caxias, o clube utiliza critérios em cima da média de público de 2013, dos custos de operação do novo Beira-Rio, da importância da partida e do valor pago pelos contribuintes. Por exemplo: as mensalidades reajustadas para 2014 são de R$ 85 para o associado que tem acesso a todos os jogos (carteira vermelha) e R$ 35 para sócio Campeão do Mundo (carteira branca). Segundo a administração do Inter, o modelo foca não apenas o quadro social já existente, mas novos adeptos às carteiras.
— O dono de cadeira tem em média quatro jogos por mês. Se cobrar do torcedor comum o ingresso mais barato do que ele paga na mensalidade, tanto dele quanto do sócio, não geramos novas associações. O torcedor pensa: "Qual a vantagem que tenho de ser sócio?" — explica o vice-presidente de Administração José Amarante.

Colorados exigiam do Inter o cumprimento de uma resolução no Conselho Deliberativo do clube no momento da aprovação da setorização. Preocupados com o aumento dos bilhetes, foi aprovado em reunião que os jogos do time de Abel Braga fossem divididos em níveis de importância. A partir do adversário e da competição, haveria um teto de cobrança. Os valores do último sábado resultaram em uma renda de quase R$ 929 mil, conforme divulgação do Inter.
— Os critérios não são definidos pela importância do jogo, mas do momento do time nos campeonatos. A partida contra o Vitória era a estreia no Brasileirão — defende-se Amarante.
O custo de uma partida no Beira-Rio também mudou, explica Amarante. O trabalho triplicou. Antes de a Andrade Gutierrez se tornar parceira do Inter, a operação era resolvida com 180 tarefeiros — pessoas contratadas para trabalhar em cada evento. Das 50.428 cadeiras do novo Beira-Rio, o Inter cuida de 42 mil lugares. Contra o Vitória, para que as 25 mil pessoas fossem atendidas, 621 profissionais foram contratados entre seguranças, bilheteiros, orientadores, brigadistas — sem contar a equipe de Amarante, não-remunerada, de cerca de 30 pessoas. O valor pago pelo Inter para tudo isso é de cerca de R$ 100 mil.
A fim de não haver conflito entre os torcedores que possuem lugares locadas e os que compram ingressos na bilheteria, o Inter irá numerar as cadeiras e as filas de cada setor do Beira-Rio. Com isso, na partida diante do Sport, dia 4 de maio, cada bilhete terá um lugar específico e fixo nos dois anéis do estádio. A compra de ingresso, garante Amarante, será melhorada. As 36 bilheterias estarão em funcionamento — e não apenas 18, como no sábado.
— Esperávamos 30 mil pessoas. Recebemos 24 mil, apenas. Nossa avaliação em conversas informais é que podemos ganhar nota 7. Mas temos de melhorar bastante. O que pior ficou para nós foi a bilheteria. O torcedor que precisava de ingresso chegou muito em cima do horário do jogo — resumiu Amarante.

Preços cobrados sábado, que valerão para Inter x Sport, dia 4 de maio, no Beira-Rio:

Superior marcada R$ 140 - não sócio
R$ 70 - sócio
Superior cadeiraR$ 80 - não sócio
R$ 40 - sócio
Inferior marcadaR$ 160 - não sócio
R$ 80 - sócio
Inferior cadeiraR$ 100 - não sócio
R$ 50 - sócio
Very VipR$ 250
Vip centralR$ 165
Vip lateralR$ 145

Cadeira Fantasma no Remendão

Compre já a sua!

Torcida reclama de visibilidade, e imprensa ficará sentada atrás das goleiras no Beira-Rio

Profissionais ocuparão bancos atrás das placas de publicidade, que terão altura diminuídaTorcida reclama de visibilidade, e imprensa ficará sentada atrás das goleiras no Beira-Rio Pedro Gobatto/Arquivo pessoal 

Fotos do torcedor Pedro Luis Gobbato mostram a visibilidade com e sem profissionais de imprensa 

No novo Beira-Rio, os profissionais de imprensa com acesso ao gramado terão de ficar sentados atrás das goleiras durante as partidas. A medida foi criada pelo Inter em parceria com a Associação dos Cronistas Esportivos Gaúchos (ACEG) por conta de reclamações de torcedores que compram ingresso nas primeiras fileiras do nível inferior.

— Fiquei sentado na primeira fila das inferiores no jogo com o Vitória e não consegui ver o jogo por conta da reportagem no gramado, que ficou em pé o tempo todo — reclama o torcedor Pedro Luis Gobbato.
A nova medida passa a valer já no jogo contra o Sport, domingo, pelo Brasileirão. Os repórteres ficarão sentados em bancos semelhantes aos utilizados pelos seguranças do Inter, que serão colocados atrás das goleiras. Caso algum profissional se recuse a cumprir a medida, será retirado do local por funcionários do clube.

Para facilitar a visibilidade dos torcedores, o Inter também diminuirá a altura das placas de publicidade ao redor do campo. O modelo padrão utilizado em jogos do Brasileirão se ergue a 1m10cm do chão. No adaptado, que será produzido por uma empresa gaúcha, a altura do equipamento será de 90cm.

Beira-Rio 'encolhe' após descoberta de pontos cegos e ajuste em cadeiras


Número de cadeiras retiradas não é preciso, mas redução fará sócios serem chamados pelo clube

Número de cadeiras retiradas não é preciso, mas redução fará sócios serem chamados pelo clube

O estádio Beira-Rio diminuiu de capacidade após a retirada de cadeiras que tinham a visão prejudicada e readequação de acesso para portadores de necessidades especiais. O encolhimento foi confirmado pelo Internacional e pela construtora Andrade Gutierrez, mas o número exato de cadeiras retiradas gera um conflito de versões.
Dentro do próprio Inter a quantidade de cadeiras sacadas sofre variações. Um primeiro número aponta para 470 assentos retirados, mas também existe a informação de que foram 700. O jornal Correio do Povo, por sua vez, fala em até 1,4 mil lugares a menos do que projetado inicialmente.
Em seu site oficial, na terça-feira, o Inter se limitou a dizer que após uma revisão dos setores do estádio encontrou "divergência de distribuição, visibilidade e disponibilidade de cadeiras".
"A partir da semana que vem vamos chamar os sócios que locaram e procurar uma saída. Ao invés de colocar o sócio nesta cadeira, vamos deslocar ele para um assento logo ao lado, no mesmo setor. O importante é que temos solução para todos estes casos", afirmou Norberto Guimarães, vice-presidente de comunicação social do Inter.
No site da Fifa, na área que descreve os estádios que receberão a Copa do Mundo, o Beira-Rio é apresentado com capacidade para 50.287.
Segundo o Correio do Povo, além das cadeiras retiradas em virtude de pontos cegos e adequações de acessibilidade, o estádio também teria assentos fantasmas. Ou seja: lugares projetados, mas que não foram instalados.
Em fevereiro, o UOL Esporte relatou os pontos cegos no antigo setor das cadeiras perpétuas. Nos dois dias de reinauguração oficial do estádio, em abril, foi possível notar a retirada dos assentos, mas ainda sem ser definitiva. Pois a base de alumínio que acomoda o material seguia no local.
Em março, o estádio passou por uma readequação para receber os portadores de necessidades especiais. O tema chegou a gerar polêmica após duas partidas do Gauchão e uma reunião com o Ministério Público do Rio Grande do Sul. Na época, a previsão do Inter era retirar 150 cadeiras para acomodar os lugares.
Palco de cinco jogos da Copa do Mundo, o Beira-Rio receberá um evento-teste com acompanhamento da Fifa em 10 de maio, quando o Internacional enfrenta o Atlético-PR em partida válida pela 4ª rodada do Brasileirão.

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Inter informa divergências de disponibilidade de cadeiras entre projeto e assentos do Beira-Rio

Clube divulgou nota no site oficial dizendo que fará ajustes para os associados

Inter informa divergências de disponibilidade de cadeiras entre projeto e assentos do Beira-Rio Omar Freitas/
 
Beira-Rio terá capacidade menor do que a prevista anteriormente 
 
No projeto da reforma do Beira-Rio, o número de lugares previstos para os torcedores colorados não deve ser o mesmo. Isso porque, em nota divulgada no site oficial, o Inter admitiu que após a reforma, o estádio, por ora, como não cumpre o que havia sido projetado inicialmente.
Por conta disso, a administração do clube entrará em contato com os sócios que adquiriram as cadeiras que não poderiam, na teoria, serem vendidas para buscar uma solução. Confira a nota abaixo.
"O Sport Club Internacional informa que identificou divergência de distribuição, visibilidade e disponibilidade de cadeiras em setores determinados entre a planta originalmente disponibilizada pela empresa técnica especializada contratada para realização do projeto e o atualmente instalado.
O fato ocasionará a necessidade de pequenos ajustes de posicionamento em determinadas cadeiras de determinados setores.  O Atendimento da Setorização entrará em contato com os sócios com divergência de distribuição, visibilidade e disponibilidade de cadeiras para buscar a melhor solução disponível."

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Grêmio lidera ranking da CBF de 2014

Tricolor sobe da quinta colocação para primeiro posto na tabela, que tem Corinthians em segundo e Flamengo em terceiro. Entidade considera apenas os cinco últimos anos 



A CBF divulgou na tarde desta sexta-feira o seu ranking nacional de clubes. Mesmo sem títulos na temporada, o Grêmio terminou o ano na liderança. O Tricolor, que tem 15.286 pontos, terminou 2013 em quinto na tabela da entidade. O Corinthians, com 15.048 pontos, manteve a segunda posição. Sétimo colocado no ano passado, o Flamengo subiu quatro degraus e terminou o ano em terceiro. O campeão brasileiro Cruzeiro subiu duas posições, mas é apenas o oitavo. 

A lista dos dez melhores do ranking da entidade tem ainda rebaixado Vasco, que está na quarta colocação, o Fluminense, que caiu da primeira posição para o quinto posto, o Internacional em sexto, o São Paulo em seguida, o Santos em nono e o Atlético-PR na décima posição. O Palmeiras é o 11º, seguido por Botafogo, Goiás e Coritiba.
Campeão da Libertadores, o Atlético-MG seguiu sem resultados expressivos em competições nacionais e caiu da 12ª posição para o 15º posto. O ranking da CBF considera apenas os resultados obtidos em competições organizadas pela entidade nos cinco últimos. A pontuação é importante principalmente para a definição de vagas na Copa do Brasil.
os critérios
Este é o segundo ranking da CBF com o novo formato, adotado no fim de 2012. Até o ano passado, eram levados em conta os resultados em competições nacionais desde 1959, ano em que o primeiro campeonato abrangendo todo o país foi disputado. O novo critério leva em conta apenas as cinco últimas temporadas, que têm pesos diferentes na soma dos pontos. O ano vigente multiplica a pontuação por cinco, o ano anterior por quatro e assim por diante.  

O campeão brasileiro da Série A recebe 800 pontos. O vencedor da Série B leva 400 pontos, o primeiro colocado na Terceirona tem 200 e o campeão da Série D obtém 100. Os campeões da Copa do Brasil e da Copa do Brasil de Futebol Feminino levam a mesma pontuação: 600 pontos. Os vice-campeões sempre recebem 80% dos pontos do campeão. Os clubes que participam da Libertadores e entram apenas nas oitavas de final recebem uma bonificação de 400 pontos. O clube que for campeão da Copa Sul-Americana e não participar da Copa do Brasil receberá 280 pontos.

Reformulação! Grêmio deve emprestar até oito jogadores

Everaldo e Marco Antônio já foram cedidos por empréstimo rumo ao Figueirense. Como esperado, o Grêmio começa a reformular o seu elenco para a disputa do restante da temporada 2014. Segundo levantamento feito pelo portal gaúcho Zero Hora, até oito jogadores podem acertar a saída do clube gaúcho para defender outras equipes - grande maioria deles por empréstimo.
 
Entre eles, estão nomes que já ganharam algumas chances na equipe principal, como o zagueiro Saimon, os volantes Adriano e Matheus Biteco e jogadores mais ofensivos, como Guilherme Biteco e Yuri Mamute.

Outros jogadores que devem ser cedidos pelo tricolor para ganhar mais experiência são os jovens Follman (goleiro), e os zagueiros Canavésio e Rafael Thyere.

Nesta semana, o clube já acertou os empréstimos de Everaldo e Marco Antônio ao Figueirense, com isso, prorrogou o vínculo de Jean Deretti até o final do ano.

terça-feira, 15 de abril de 2014

Número de títulos GREMIO X Inter


Grêmio admite interesse em atacante do Londrina Arthur, de 21 anos, pode ser o novo reforço do Tricolor


O Grêmio deve buscar o seu novo reforço para a temporada 2014 em Londrina. O clube gaúcho já admite que está sondando Arthur, um dos grandes destaques do Londrina na conquista do Campeonato Paranaense 2014.

Rui Costa, diretor executivo gremista, admitiu o interesse no atleta: "Ele fez um bom Paranaense, estamos observando o jogador, porém, nada está certo. A única coisa que existe é o interesse e uma sondagem", declarou.

Durante as comemorações da conquista estadual, o atacante indicou que já estaria acertado com o clube gaúcho, o que todavia, Rui Costa faz questão de negar:

"Na empolgação do título ele acabou falando um pouco demais. É bom ver um jogador empolgado com o fato de vestir a camisa do Grêmio, mas repito, ele não está contratado", completou.

Arthur tem 21 anos, passagem pelo Coritiba em 2013 e com a camisa do Londrina, balançou as redes oito vezes no Estadual.

Destaques do Gauchão: Melhor Árbitro


Após Inter anunciar jogo no Beira-Rio, diretor da CBF reclama: "Isso aqui não é futebol de botão"

Clube não cumpriu prazo previsto em regulamento da competição, mas prometeu entregar laudos necessários até esta terça-feira

Após Inter anunciar jogo no Beira-Rio, diretor da CBF reclama: "Isso aqui não é futebol de botão" Banco de Dados ZH/

O Inter confirmou nesta segunda-feira o Beira-Rio como palco da primeira partida do Brasileirão contra o Vitória, no sábado. Porém, nenhum laudo foi entregue à CBF e Ministério Público para a liberação do estádio. A direção afirma que entregará a documentação nesta terça-feira. Prazo que já está esgotado, segundo o diretor técnico da CBF, Virgílio Elísio. O regulamento da competição determina que o local do jogo tenha de ser definido dez dias antes da partida — ou seja, na quarta-feira passada.

— Amanhã (terça) pela manhã espero ter uma posição sobre isso. É que envolve uma logística. Onde o adversário terá de ir? Porto Alegre, Novo Hamburgo ou Caxias? Isso aqui não é futebol de botão — disse Virgílio.

Nesta segunda, o Comando de Policiamento da Capital esteve no Beira-Rio. O entorno, a maior preocupação da Brigada Militar, já apresenta melhores condições do que a semana passada. Os portões de acesso ao estádio, porém, ainda não foram trocados por outros do tipo corta-fogo. Sem a troca, o Inter não receberá o Alvará do Corpo de Bombeiros. Um acordo entre as autoridades de segurança pode autorizar que os portões fiquem abertos enquanto acontece a partida. A solução envolve risco, segundo o promotor José Francisco Seabra Mendes Jr.

— No evento de sábado (na reinauguração) tivemos um princípio de tumulto com pessoas que queriam entrar (e não tinham ingresso) — explicou Seabra, admitindo a possibilidade de haver jogo sem a entrega dos todos os laudos definitivos.

quinta-feira, 10 de abril de 2014

quarta-feira, 9 de abril de 2014

Filha de Dunga afirma que o pai não foi convidado para a festa do Beira-Rio

Filha de Dunga afirma que o pai não foi convidado para a festa do Beira-Rio Reprodução/Facebook/

O ex-volante e ex-técnico colorado Dunga não participou da festa de reinauguração do Beira-Rio no último final de semana. Mas, segundo a sua filha, Gabriela Verri, a ausência foi por falta de convite. Ela se manifestou através do seu Facebook pessoal.
— Eu não ia postar nada, mas como muita gente perguntou e depois que sairam afirmações mentirosas na mídia, resolvi falar. Então, meu pai NÃO foi convidado pelo Sport Club Internacional para participar da festa de reinauguaração do Beira Rio — escreveu Gabriela.

Homenagem da Coca-cola ao Olímpico e Arena.

segunda-feira, 7 de abril de 2014

Maravilhas da rererererererestréia do New Remendão

Trânsito
No domingo, o trânsito ficou bem complicado na saída do jogo _ na Padre Cacique, o que era previsível, e na Avenida Beira-Rio. Bem que a EPTC poderia pensar em liberar, em domingos de futebol, todas as pistas da avenida durante os poucos minutos de escoamento de torcedores.
CirculaçãoAmplo, o corredor de circulação interna da arquibancada superior foi prejudicado pelas extensas filas dos bares. Em alguns pontos, era preciso vencer pequenos labirintos para conseguir cruzar de um lado ao outro.
EntradasÁreas novas, como os skyboxes, poderiam estar melhor sinalizadas. Jornalistas também tiveram dificuldades para circular pelo estádio, já que nem todos os elevadores levam a todos os níveis.
BaresPonto negativo: muitas filas. Houve quem ficasse quarenta minutos na fila dos bares da inferior e da superior. Em alguns pontos de venda, itens como sanduíches e água mineral terminaram. Aos 25 minutos do segundo tempo, domingo, a fila para comprar pipoca tinha pelo menos 50 pessoas na arquibancada inferior.
Volta efêmeraNo sábado, muitos colorados comemoraram a volta da venda de cerveja com álcool ao Beira-Rio, por "módicos" R$ 8. Domingo, que havia futebol, só tinha  sem álcool, a R$ 6.
SaídaNo sábado à noite, houve certa confusão no momento da saída: torcedores que aguardavam do lado de fora tentavam entrar no estádio quando os portões foram abertos para a saída da torcida, ainda durante o show do DJ Fatboy Slim.
- Libera, libera, libera - gritava um grupo no portão 5 da inferior, pedindo que os seguranças e a Brigada Militar dessem passagem.
Com isso, ocorreu aglomeração daqueles que tentavam sair. Um grupo de cerca de 200 colorados foi liberado para entrar, mas logo o acesso foi negado novamente _ a lenga-lenga se repetiu em outros portões. Policiais, integrantes da equipe de produção e seguranças particulares tiveram dificuldade em resolver a situação.
Cadê lixeira?Faltaram lixeiras tanto no entorno quanto no pátio do Beira-Rio. Não fosse o trabalho de catadores, seria um mar de garrafas e latas espalhados pelo chão.
BanheirosBoa parte dos banheiros já estava suja antes do início da festa e do jogo. Não faltavam toalhas de papel e sabonete, mas lixeiras eram raras - em vários banheiros, o papel se acumulava em cantos ou em sacos de lixo.
Torcedores reclamaram do projeto das torneiras, que ficam muito próximas à pia, dificultando para lavar as mãos. Houve vazamentos de água em algumas cabines e corredores.
Som...O show de inauguração, no sábado, trouxe uma lição: a acústica em estádios é traiçoeira. Em determinados pontos, como na arquibancada inferior do lado Sul, havia dificuldade em compreender o que se dizia nos vídeos em alguns momentos. No domingo, o problema foi corrigido de forma simples: o som que saía dos alto-falantes estava altíssimo. Nenhum problema durante a partida, em que as informações de quem entra ou sai nos times são fundamentais, mas as músicas colocadas no final, para embalar a torcida durante a volta olímpica, estavam altas demais.
... e luz
No domingo, faltou um cuidado: acender os refletores a partir de 17h40min da tarde, quando o sol foi baixando no Guaíba. O jogo terminou em penumbra - o campo foi iluminado só para a festa de entrega da taça, levantada por Índio e D'Alessandro.

TelefoniaConseguir sinal em 3G ou fazer uma ligação de celular no entorno e dentro do estádio depois das 18h de sábado ou após as 14h de domingo foi, como de costume, uma façanha.Teve de se armar de paciência para compartilhar, nas redes sociais, suas selfies de dentro do Gigante. Mesmo telefonemas simples exigiram um pouco de paciência. Mais uma vez, a telefonia tremeu feito time pequeno em jogo decisivo.

domingo, 6 de abril de 2014

Inauguracao importante X Remendo


Marketing colorado mentiroso


Willian José substitui Cristiano Ronaldo no Real Madrid

Artilheiro português é poupado e o brasileiro pode estrear no time espanhol

Willian José chamou a atenção do treinador jogando pela equipe B do Real Madrid

Willian José chamou a atenção do treinador jogando pela equipe B do Real Madrid 

Renegado no São Paulo e no Santos, Willian José está prestes a realizar um sonho: após boas atuações com a camisa do Real Madrid Castilla - o time B do clube espanhol - o atacante brasileiro chamou a atenção do técnico Carlo Ancelotti e foi relacionado pela primeira vez como titular da equipe principal na partida de sábado diante da Real Sociedad, pelo Campeonato Espanhol. E Willian José vai substituir ninguém menos que o melhor jogador do mundo, Cristiano Ronaldo, poupado pelo técnico italiano. 
Em seu pefil no Instagram, Willian José expressou sua alegria: "Recebi hoje a notícia de que vou pro jogo de amanhã com o elenco principal do Real Madrid. É a realização de mais um sonho, fruto do trabalho do dia a dia e espero poder fazer o meu melhor. Obrigado a Deus e a todos que estão na torcida por mim." A trajetória de Willian José lembra a de outro ex-são-paulino. No ano passado, o volante Casemiro desembarcou em Madri para fazer parte do Castilla e ganhou suas primeiras chances na equipe de cima com o técnico José Mourinho. Nesta temporada, Casemiro se tornou presença habitual no banco de reservas e chegou a entrar no lugar de Cristiano Ronaldo na vitória por 3 a 0 do Real sobre o Borussia Dortmund, pela Liga dos Campeões. Com 73 pontos - três a menos que o Atlético de Madri e dois atrás do Barcelona -, o Real precisa vencer a Real Sociedad para permanecer na briga pelo título.

quarta-feira, 2 de abril de 2014

Vasco estaria de olho em Kleber Gladiador

 

Completamente sem espaço no Grêmio, o atacante Kleber Gladiador pode defender a camisa de outro gigante do futebol nacional durante o restante da temporada 2014. De acordo com informações publicadas pelo portal UOL, o Vasco da Gama estaria interessado na contratação do atacante.

O Grêmio não deve dificultar a saída do jogador, estando até mesmo buscando um interessado pelo atleta, que perdeu espaço após a sua lesão e a ascensão de Luan na equipe titular.

O que dificulta um acerto entre o jogador e o clube, no entanto, é o alto salário do atleta, que recebe no Tricolor, aproximadamente 500 mil reais mensais. A principal ideia é que o clube gaúcho pague 50% do salário do atleta, em situação parecida com a que levou Elano para o Flamengo.

Chitolina, assessor de futebol, todavia, em entrevista ao UOL, negou contato: "Não estamos tratando disso pois não houve nenhuma proposta pelo Kleber", declarou.

Inter terá que pagar mais de 100 mil reais ao Grêmio por danos na Arena

20140330_190128

O prejuízo do Internacional será grande. O clube sabe que terá que pagar caro pela depredação.
O Brasil de Pelotas, por exemplo, quebrou 50 assentos e teve que desembolsar 30 mil reais.
Como são quase 200 lugares, o valor do gira em torno de 120 mil reais. Ainda é uma projeção feita pela direção tricolor, mas é mais ou menos o que deve acontecer.
Na tarde desta terça-feira, representantes da Arena irão entrar em contato com os diretores do Internacional para comunicar o valor oficial.

Íntegra do contrato entre Inter e Fifa para o Beira-Rio receber a Copa do Mundo

Acerto permite à entidade instalar estruturas temporárias e cobrar do clube após o Mundial

Documentos firmados entre Inter e Fifa estabelecem o clube como responsável por entregar o Beira-Rio (e seu entorno) e disponibilizar toda a operação durante os jogos da Copa do Mundo em Porto Alegre. Entre as obrigações estão o fornecimento de água e luz, limpeza e obras ou instalações pedidas pela entidade. Um dos itens prevê que Fifa e Comitê Organizador Local (COL) podem assumir eventuais custos, como o das estruturas temporárias, exigindo do clube ressarcimento posterior — hipótese que a entidade negou em reuniões com autoridades locais responsáveis pelo Mundial.
Zero Hora teve acesso ao Stadium Agreement, documento que estabelece o acordo entre as partes e a um aditivo, ambos assinados pelo então presidente do clube, Vitorio Piffero, e por Jérôme Valcke. Os contratos foram obtidos junto ao Ministério Público Estadual (MPE), por meio da Lei de Acesso à Informação.
Veja alguns dos pontos principais dos contratos
Seguro contra tudo
O Inter terá seguro no estádio contra qualquer perda ou dano, incluindo desastres naturais. Também terá seguro contra morte ou ferimentos no estádio, que devem incluir a Fifa, o COL, pessoas relacionados a ele e torcedores. O limite mínimo de cobertura é de 75 milhões de francos suíços, ou cerca de US$ 84 milhões.
Energia elétrica, limpeza e móveis
O Inter é responsável por limpar e retirar o lixo do estádio, antes, durante e depois da competição. Também deve fornecer energia elétrica, incluindo backup, para estruturas de TV, hospitalidade e unidades móveis de transmissão. Além de móveis e equipamentos indicados pela Fifa.
Mudanças e investimentos
O clube é responsável pelas conexões de acesso à internet e concorda em realizar qualquer modificação para atender aos requerimentos da Fifa. O Inter deve assegurar pelo menos oito bilheterias perto da área de acesso, além de um sistema eletrônico para checar a validade dos ingressos e das credenciais. O contrato dá permissão à Fifa para instalar estruturas para patrocinadores e mídia, que podem ser vendidas, depois ao Inter.
Operação do estádio
O Inter opera, arcando com os custos, o estádio durante a Copa, de acordo com requerimentos da Fifa. Concorda em fornecer ferramentas como empilhadeiras e contratar funcionários para as demandas da entidade. Garante que as instalações sejam operadas e mantidas pela sua equipe. Além disso, responsabiliza-se por organizar e manter as áreas de estacionamento, incluindo estruturas temporárias, como banheiros.
Fifa pode cobrar depois
No contrato, está previsto que, se o clube não fornecer algum equipamento considerado necessário pela Fifa, a entidade pode montar a estrutura e depois cobrar do Inter. Caso haja discussão, o documento prevê que seja resolvida na Câmara de Comércio Suíça, em Zurique.
Uma colher-de-chá
Na cláusula 13, do aditivo, uma boa notícia ao Inter em um contrato cheio de obrigações: a Fifa se compromete a dar ao clube ingressos para os jogos da Copa. Porém, decide sozinha o número e a localização dos assentos.

Confira, abaixo, a íntegra do contrato (ou clique aqui para ler o documento):



Confira, abaixo, a íntegra do aditivo (ou clique aqui para ler o documento):
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...